Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Por aí’ Category

No último dia 9 de maio foi ao ar na TV Cultura, o Programa Viola Minha Viola, um dos mais antigos programas da

televisão brasileira, do qual tive a honra de participar de suas gravações, ocorrida no teatro Franco Zampari em São Paulo. Para quem perdeu, a reprise acontece neste sábado (15), as 21h30 e vale a pena conferir.

Cenário do programa, antes das gravações

Nesta edição, o Viola mostrou na abertura Inezita Barroso soltando a voz com Rede de Sinhá, de Leyde Olivé. Os convidados Luiz Fernando e João Pinheiro cantaram Precioso diamante, de Luiz Fernando; A última boiada, de Luiz Fernando e João Pinheiro; além de Nos galhos dos pinheirais, autoria de Rei da Mata e Francisco A. do Carmo.

Mariângela Zan, filha do saudoso sanfoneiro Mario Zan,  cantou Cuitelinho, de Paulo Vanzolini – recolhido por Antônio Xandó; e Arroz a carreteiro, de Palmeira e Mário Zan.

Também se apresentaram Belmonte e Amaraí  com a canção O tropeiro, de Jesus Ramos com versão de Capitão Furtado; Capricho do destino, de Dino Franco e Brasa Hernandez; e Do mundo nada se leva, de Belmonte e Jorge Paulo. A apresentadora encerrou o programa cantando Seriema, de Mário Zan e Nhô Pai.

Sobre o Viola- Com 30 anos de transmissão ininterrupta, o programa é apresentado pela cantora e folclorista Inezita Barroso, que fez do palco do Teatro Franco Zampari um altar da tradicional música de raiz.

Palco Viola Minha Viola



O programa é comandado por Inezita Barroso há 30 anos

Mariangela Zan, dá continuidade ao trabalho do pai, Mario Zan

viola do viola

Read Full Post »

Ano passado, participei da primeira edição do Sarau Sítio da Ressaca declamando meu cordel da Alma Gêmea e graças a Deus , foi um sucesso. Este ano, tive a honra de receber o convite mais uma vez de um de seus organizadores, o ator Valdir Carlos, só que agora, para ser apresentadora das atrações. Adorei a oportunidade e no próximo dia 22 de maio, estarei lá para apresentar o melhor da cultura em São Paulo. Quem puder comparecer, fica a deixa para juntos, curtirmos um dia que será pra lá de especial.

É isso aí galera. Hasta la Victoria siempre 🙂

Read Full Post »

Read Full Post »

A repercussão da nossa estadia em Guaxupé foi muito bacana. Mas, a literatura de cordel apesar de popular, ainda não é tão conhecida pelos guaxupeanos.

Nosso principal objetivo nesta ocasião foi levar àquele momento, os valores desta literatura trazida pelos portugueses ao Brasil e difundida principalmente no Nordeste, além de mostrar a irreverência didática que esta cultura proporciona.

Professores e pessoas ligadas à cultura se impressionaram com a riqueza do cordel, principalmente, no que diz respeito à variedade de temáticas, clareza e organização das construções poéticas. Pena que um público mais amplo não pôde constatar o que poucos viram afinal, a cultura popular é feita para todos, mesmo assim, valeu a intenção e fica para uma próxima vez. Hasta la victoria siempre 🙂

Banner Caravana do cordel

Maria José e nossos produtos culturais

mesmo tímido, público prestigia apresentações

e aprova

Read Full Post »

Num fim de semana longe da poluição da capital paulista, em Guaxupé, cidade mineira com cerca de 50 mil habitantes, divisa com o Estado de São Paulo e conhecida por seus cafezais, levamos neste último final de semana um pouco da Literatura de Cordel.

No evento entitulado Viralata Mix, organizado por Sheila Saad, parte da Caravana do Cordel, representada pelos poetas João Gomes, Costa Senna e eu, com a produção de Hellaydo Jean, mostrou ao público local, versos de nossa autoria e de grandes nomes deste segmento literário. A outra demanda do grupo, seguiu com apresentação na zona sul de São Paulo.

Danie Almeida, Costa Senna e João Gomes Sá

Costa Senna, além de poeta, é cantor e iniciou o encontro em terras mineiras, apresentando o melhor de seu repertório musical. Seguindo a linha MPB Regional, o músico intercalou canções, contações de causos, além de muito cordel, ao tímido, mas, qualitativo público guaxupeano.

Com algumas intervenções teatrais, apresentei com orgulho no peito, os artistas que ali estavam. O renomado cordelista, João Gomes Sá, com seu jeito único de declamar, encantou a todos os presentes. O poeta inclusive, foi reconhecido por alguns, pelo sucesso de Canto Guerreiro, obra de sua autoria interpretada na peça de Mauro César da cidade de Guaranésia (a 10 km de Guaxupé). O espetáculo foi ganhador de três festivais teatrais nas cidades mineiras de Contagem, Varginha e Conselheiro Lafaiete.

O meu cordel, O Encontro de Duas Almas Chamadas Gêmeas, claro, não deixei de apresentar e a aceitação foi muito bacana, inclusive das crianças, que adoraram a maquiagem da minha personagem Alma Gêmea. Na ocasião, também aproveitei a oportunidade para expor a importância pessoal dele em minha vida, pois, graças ao cordel, conquistei meu atual noivo, responsável por me fazer conhecer a linda Guaxupé.

Recitando O Encontro de Duas Almas chamadas Gêmeas

Costa Senna apresenta canções de seu repertório

João Gomes encanta a todos com seus versos

crianças pedem para serem Alma Gêmeas

Hellaydo Jean declama versos sobre Guaxupé

admiradoras do cordel

Com Sheila Saad, coordenadora do evento

Read Full Post »

Guaxupé vista da região central

Guaxupé, em Minas Gerais, é um lugar especial. Muito mais próximo de São Paulo (apenas 4 horas)que a capital do seu próprio Estado, Belo Horizonte (8 horas), a cidade se destaca pela harmonia entre homem e natureza.

Sua economia, essencialmente cafeicultora, revela ruas com arquiteturas coloniais e traços de um Brasil ainda tradicionalista. Mas, em meio a toda tradição, a modernidade também se faz presente. Faculdade, casas e show, barzinhos e uma animada juventude em suas avenidas principais , Conde Ribeiro do Vale e Dona Floriana,  principalmente às sextas-feiras à noite, nos lembra em qual milênio estamos.

Sheila Saad é idealizadora do bloco Viralatas do samba em Guaxupé-MG

Conhecer o lado alternativo do município, confesso, foi algo que me surpreendeu. Guaxupé é muito mais que sertanejo universitário. A cultura popular também se faz presente e muito. Segundo a jornalista guaxupeana, Sheila Saad, em sua revista de bolso intitulada BOCA A BOCA, “a porção abstrata da herança cultural de um povo, passada de geração em geração,  provoca um sentimento de identidade e continuidade dos costumes tradicionais tais como rezas, folia de reis e contação de causos diversos que representam a mineirice de seu povo”. E de fato isso é uma verdade.

Para minha felicidade, através da pessoa de Sheila, conheci um pouco mais dos projetos alternativos dessa cidade. Como o bloco criado por ela, chamado Viralatas do Samba. Trata-se de um grupo de “anarquistas” que decidiram inovar os dias do carnaval guaxupeano unindo traços da sua cultura tradicional com o samba de raiz, nas ruas de Guaxupé. A experiência ainda que timidamente, foi um sucesso e sua mentora promete mais no próximo ano. “Todos os dias vou até a sede do Viralatas atualizar a placa com a contagem dos dias para o próximo carnaval na Casa da Vó Maria (sede do bloco)”, conta a dedicada Sheila. A preocupação da jornalista pelos cachorros de rua, revela a razão do inusitado nome que já abraçou outras frentes culturais: O Viralata Mix. Este evento reunirá várias manifestações da cultura artística não só local, mas brasileira.

Hellaydo Jean, Dani Almeida e Sheila Saad

Read Full Post »

A festa será realizada no próximo dia 8 de maio na Casa da Vó Maria, também sede do Viralatas do Samba. O casarão antigo leva em seu interior uma decoração com pinturas e artesanatos curiosos. Música de qualidade através do som de um saudoso vinil, também dão um clima especial ao local. O Viralata Mix levará das 10h às 22h, manifestações como hip hop, roda de samba, moda indiana, tatoo, artesanato, sarau e LITERATURA DE CORDEL.

Neste último, estarei fazendo participação com os grandes cordelistas João Gomes Sá e Costa Senna apresentando um irreverente Talk Show poético. O encontro também terá a participação especial de Hellaydo Jean, nativo, residente em São Paulo e principal responsável por me apresentar a terrinha.

Como em todo evento, patrocínio é preciso e aqueles que acreditam na cultura como meio de negócio, claro, podem entrar em contato no email sheilasaadjor@gmail.com. Vivenciar a cultura popular nos mais diversos lugares do nosso Brasil é a mais rica experiência que alguém que trabalha com comunicação pode ter. Ao povo guaxupeano, meu muito obrigada. Hasta la victoria siempre 😉

desenhos estilosos fazem parte da decoração da Casa da Vó Maria

Read Full Post »

Older Posts »